segunda-feira, 12 de junho de 2017

O que fará a NOS neste momento de (in)definição?

Enquanto uma boa parte dos títulos do PSI20 está já em sólido momentum ascendente, a NOS continua em contraciclo e sem capacidade de inverter a sua tendência de médio prazo. Desde meados de 2015 que tem vindo a reger-se por uma lógica de máximos relativos inferiores ao anterior, o que indica uma clara tendência descendente. E nem a boa prestação no campo das telecomunicações Nacionais e o terreno ganho em termos de market share lhe têm valido. O momento actual será, contudo, de importância significativa para o médio prazo. Com o título muito próximo da resistência dos 5,64€, e apoiado num H&S de inversão (apesar de a projecção já ter sido atingida), existe uma boa probabilidade de o ciclo negativo poder ser interrompido. Além do H&S, temos outra figura de grande relevo técnico a formar-se: um triângulo.

O problema com os triângulos é que o sentido da quebra nunca é seguro. Se por um lado existe uma maior probabilidade de existir uma continuidade da tendência que lhes deu origem, por outro lado também poderão ser padrões de inversão. É por isso fundamental esperar pela definição do movimento, e agir depois em conformidade. Se o triângulo quebrar em alta, acredito que a resistência quebre e se inverta o ciclo de médio prazo. Se quebrar em baixa, é provável que vejamos um novo reteste a mínimos. Para já, estou de fora na expectativa. Mas a acompanhar os desenvolvimentos, já que as coisas em breve deverão animar!

1 comentário:

joão disse...


Obrigado pelas analises das quais já tenho utilizado para investir.

cumprimentos

João