domingo, 28 de maio de 2017

Mota Engil progressivamente a construir novos máximos

O sector da construção venceu a sondagem semanal, e por isso começarei a análise ao mesmo pela a Mota Engil. E é fácil de ver que o título está muito forte. Há meses que o venho a dizer, e a cada dia que passa a minha convicção é reforçada com novos máximos de curto prazo. Estamos já 50% acima da zona de entrada técnica, e não existem ainda sinais de inversão. Importa, ainda assim, ficar atento a esses sinais e analisar que pontos poderão trazer problemas caso sejam comprometidos. Na última análise a este título tinha deixado como referência os 2,183€, ponto que entretanto foi desactualizado por uma nova referência situada 14% mais acima. O alerta para o curto prazo fica agora portanto nos 2,48€.


De notar, contudo, que esta subida traz um foco de preocupação. A amplitude da mesma é extremamente acentuada, e isso dá geralmente lugar a uma correcção ou pelo menos a uma lateralização. Em situações como esta, onde a tendência de médio prazo se mantém ascendente mas a de curto prazo mostra sinais de insustentabilidade, é sensato ponderar fazer scaling out (saída parcial) quando surjam sinais claros de fraqueza. O gráfico horário confirma a importância do ponto acima mencionado para o curto prazo. A quebrar-se nesta altura, poderia dar origem a um duplo topo com potencial de gerar uma correcção. Não necessariamente uma inversão de longo prazo, mas ainda assim poderia gerar uma desvalorização importante.

Já uma referência para a inversão definitiva de longo prazo é para já difícil (e talvez demasiado cedo) de apontar. O mais sensato será ir acompanhando o percurso passo a passo, sem esquecer contudo que estamos a olhar para o prisma mais negativo de um título que demonstra boas condições para caminhar já de seguida para novos máximos de médio prazo.

terça-feira, 23 de maio de 2017

As duas referências de negociação na Corticeira Amorim

Terminamos a ronda pelo sector do papel, cortiça e derivados com a análise à Corticeira Amorim. Na última análise que lhe tinha feito, a referência primária em termos de suporte estava na casa dos 7€, e o alvo a abater estava nos 9,2€. Hoje está já 50% acima dessa marca de suporte! A subida deste título tem sido progressiva, sustentável. E isso é um atributo muito importante para quem busca estabilidade negocial. Menos dada a emoções que outras na nossa praça, é certo, mas muito mais previsível. 

Indo ao gráfico, podemos constatar que desde finais do ano passado o título tem vindo a suportar a sua subida numa linha de tendência ascendente. Temos já 8 pontos de toque seguidos de reacção, e um nono mais recente que deu origem a uma pequena violação intraday. Ainda assim, não tendo o fecho ocorrido abaixo da linha, pode na minha opinião "deixar-se passar". 


Já em termos de stop, podemos neste campo trabalhar com duas referências. A primeira será a linha de tendência, cuja quebra sinalizará um primeiro alerta. Ainda assim, teria de ser avaliada de forma mais rigorosa o comportamento pós-quebra (através do sistema trend change) para se confirmar se esta poderia dar ou não origem a uma reversão. O segundo ponto de atenção, mais crítico, localiza-se nos 10,33€. Esta é para já a referência de negociação para o curto/médio prazo. Diria até que uma quebra deste segundo ponto deverá também confirmar, à partida, o sistema de trend change. Realisticamente falando, diria ainda assim que é mais provável que o título quebre em breve novos máximos do que atinja essas referências defensivas. 

sábado, 20 de maio de 2017

Até ver, tudo indicia que a Semapa está forte

Prosseguindo a nossa análise sectorial pela Semapa, podemos ver que o seu caminho de glória continua a ser traçado. A activação do triângulo de consolidação acabou por levar o título de uma forma bastante directa até à sua zona de projecção, e está neste momento novamente em máximos. Estando em máximos, é incerto adivinhar o que irá fazer para cima. Devemos, assim, focar-nos em tentar compreender o que poderá fazer num eventual recuo.

Aqui, o único ponto válido de referência está nos 14,04€. Também neste caso, à semelhança do que se passa na Portucel, não faz sentido na minha opinião proceder a um encerramento total caso exista uma quebra, mas será prudente um eventual encerramento parcial.

No que diz respeito ao gráfico horário, parece estar a formar-se um megaphone top. É um padrão chato de negociar devido às dificuldades em detectar a activação. E diga-se que é também muito pouco fiável em termos estatísticos, pelo que lhe daria nesta fase apenas uma importância relativa. Para antecipar mudanças de sentimento de curto prazo, estarei atento aos 15,21€. São um suporte de pouco relevo, mas uma boa zona de fronteira.

Caso quebrem, poderemos ter uma correcção. De qualquer forma, mesmo para o curto e médio prazo, a mesma só se tornaria de especial relevo caso os já referidos 14,04€ sejam comprometidos. Até ver, tudo indicia que a Semapa está forte.






sexta-feira, 19 de maio de 2017

9 anos a Surfar a Tendência (e grandes novidades para breve)!

Faz hoje nove anos que este espaço foi criado. No momento da sua criação, o meu principal objectivo passava por expor o meu próprio raciocínio de negociação publicamente, para que traders mais experientes pudessem contrapor as falhas do mesmo e ajudar-me assim a evitar erros que se poderiam revelar fatais. À medida que o tempo passava, o objectivo primário manteve-se mas a componente de análise acabou por se destacar e estabelecer como imagem de marca. Hoje é sobretudo isso mesmo, um espaço de análise que vai flutuando em termos de conteúdo à medida da minha maior ou menor disponibilidade. E é isso que irá mudar em breve.

Sem ser demasiado spoiler, deixem-me revelar que muito em breve o blogue como é conhecido deixará de existir. Uma das grandes diferenças passará pela disponibilização de conteúdos originais de outras pessoas além de mim próprio. Deixará de ser um blogue pessoal para ser um site dinâmico. Estou, por isso, a convidar actualmente alguns dos melhores investidores em nome individual que conheço para que se juntem a mim. Seja a sua área de especialidade acções, obrigações, forex, análise técnica, fundamental, ou outra, acredito que há espaço para todos e que quem lê sairá beneficiado com o aumento da diversidade. Não falo de jornalistas, nem teóricos da finança. Procuro pessoas como eu, que estejam dentro do mercado e sofram na carteira com as flutuações do mesmo. É a visão desses que enriquece quem lê, e que faz de espaços como este um instrumento de (algum) valor acrescentado para quem investe. É o momento para fazer esta mudança.

Já agora, se tiverem em mente alguém que escreve já hoje em dia sobre os mercados e cuja opinião apreciem, estou aberto a sugestões. A equipa ainda está em construção!


domingo, 14 de maio de 2017

The Navigator Comp continua a crescer sustentavelmente


Após análise ao sector da Banca, passemos agora ao sector do papel, cortiça e derivados. Comecemos com uma das minhas favoritas, a Navigator. O título está fortíssimo, em clara tendência ascendente de médio prazo. E a linearidade com que segue o seu percurso dá gosto de ver! Eu tinha deixado na última análise menção à referência dos 3,4€ como aquela de maior interesse e importância para o título (pela falta de melhores), e a verdade é que não temos para já muito mais forte em termos técnicos. Temos, ainda assim, uma movimentação desse ponto para um semelhante constituído mais acima, nos 3,68€. Nada mau, mais de 8% capitalizados entre os dois pontos! Uma vez mais, a leitura é semelhante. Não faz sentido na minha opinião sair a 100% da posição nesta fase, mesmo que o ponto de referência seja quebrado (a menos que existam sinais de reversão, por exemplo, através da activação neste ponto de um H&S top). Enquanto o título estiver com tendência ascendente, podemos ir flexibilizando o tamanho da posição, mas mantendo uma estrutura base. 

O gráfico horário permite-nos uma leitura semelhante deste bom momento, com a referência dos 3,8€ a mostrar-se também aqui decisiva para o curto prazo. A este nível vê-se já que é um suporte importante, e que a sua quebra poderia ter consequências negativas. A mais curto prazo há uma pequena zona de suporte entre os 3.90 e os 3.92 que poderá sustentar o título ou sinalizar antecipadamente uma pequena correcção. Apesar destes sinais de alerta a que convém ficar atentos, o meu optimismo no título mantém-se e tudo indica que para já, mais cedo ou mais tarde, novos máximos de curto prazo venham em breve a ser feitos.