segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Navigator (ex Portucel) continua muito aquém das expectativas

A Navigator, ex Portucel, abre o ciclo de análises ao sector do papel após uma renhida luta com o sector do retalho. Depois de um H&S falhado em início de 2016, e de nova tentativa gorada em Maio (este não chegou sequer a ser activado), à terceira foi de vez. O preço conseguiu activar e cumprir a projecção de novo padrão de inversão em Julho, ultrapassando a expectativa mínima e aproveitando a boleia para uma reacção em alta digna de nota. Inverte-se agora o sentimento, após a quebra com estrondo do suporte nos 2,76€, e isso leva-me a preocupar com o futuro de médio prazo do título. Tudo aponta, em termos técnicos, para a continuidade desta reacção descendente. Diria que existe espaço para um pullback ao suporte quebrado, mas não há grande margem técnica para além disso. A projecção aponta para os 2,49€, e até agora os padrões de inversão no sentido ascendente ainda não falharam (ao contrário do que tem sucedido no sentido inverso, sinal de fraqueza da cotação).

No gráfico horário é mais nítida a importância da zona de suporte quebrada. Imediatamente após o breakout, a cotação desabou. Tendo encontrado mais tarde um pequeno ponto de reversão, está neste momento novamente apoiada num suporte . Parece-me contudo improvável que os 2,64€, marca que representa um suporte incomparavelmente mais fraco que o anterior, detenham uma retracção um pouco mais forte. Além desse ponto de atenção, convém vigiar também o mínimo relativo neste timeframe (2,57€). A menos que o título comece a reagir à contrariedade neste preciso ponto, será provável que venhamos brevemente testar novos mínimos. Convém por isso reforçar atenções relativamente a estes pontos-chave, e obviamente evitar entradas longas até que sinais mais animadores voltem a surgir.


P.S.: A sondagem na lateral foi resetada e o sector do papel foi retirado. Podem ir votando para a próxima ronda

domingo, 25 de setembro de 2016

Apesar dos sinais positivos, PSI20 continua fraco

Encerramos a análise aos índices Europeus com a leitura do PSI20. Uma vez mais, as notícias não são brilhantes. A tendência de longo prazo,  tal como a de médio prazo, continua a ser claramente descendente. A ténue esperança trazida pelo padrão de inversão activado em inícios de Julho, que inclusive conseguiu ultrapassar uma enorme resistência composta pelo gap de 8%, esgotou-se na projecção do padrão. De forma milimétrica, a cotação tocou no ponto de projecção e inverteu. O capricho, ou precisão técnica, se preferirem, não se ficou por aí. Agora recentemente, novo padrão técnico foi activado, e uma vez mais inverteu no contacto com o ponto de projecção. Um bónus para o nosso PSI por este rigor.

Suportado nesta onda de rigor técnico recente, a formação de um H&S (já activado) no gráfico horário traz-me alguma esperança de que possamos ter pelo menos uma continuação por mais alguns dias do bom momento do índice. A projecção aponta para os 4658 pontos, e o facto de só termos uma resistência mais possante nos 4695 reforça expectativas num início de semana positivo. Apesar do bom momento de curto prazo, não há contudo quaisquer indicações de inversão a médio prazo. Para que tal sucedesse, seria necessária a ultrapassagem em alta dos 4824 pontos. Aí, perante a quebra do higher-low e mantendo-se o actual H&S no gráfico horário como ponto de mínimo relativo, as coisas mudavam de figura. Há, contudo, que manter o realismo presente. E, realisticamente falando, a tendência do PSI20 continua a ser descendente no médio prazo. Acredito, por isso, que o cenário mais provável seja o de extensão até um pouco acima da zona de resistência marcada no gráfico diário (encerrando o gap), seguido de quebra descendente na direcção dos 4460 pontos. Se esse ponto de mínimo relativo for de facto quebrado, será então expectável uma nova entrada em mínimos de longo prazo.

P.S.: Amanhã começa nova ronda de análises. Pelo resultado da sondagem, esta nova ronda passará pelo sector do retalho ou do papel. Não se esqueçam de votar, na lateral direita da página, na vossa favorita


sábado, 24 de setembro de 2016

Negociação Automática - Pontapé de Saída!

Depois da introdução à negociação automática na semana passada, que dividiu atenções entre o grande interesse e a moderada polémica, regressarei hoje ao tema com um assunto da maior importância: a definição das regras pelas quais me vou guiar neste período. Já passei pelas fases de awareness, formação, formação avançada, e incubação das estratégias numa conta demo. Sinto-me, por isso, preparado para fazer a transição das estratégias para uma conta real. Quais são, então, os princípios em que me vou suportar?

Partilha de informação: Decidi, como tinha indicado anteriormente, tornar pública a minha conta de negociação automática. Estarão por isso visíveis, a todos os que o queiram consultar, as informações relativas a trades realizados, número de estratégias utilizadas, detalhes das ordens encerradas e em aberto, e os montantes envolvidos em cada um dos negócios (link no final do texto). Como sabem os que por aqui andam há mais tempo, não tenho por hábito divulgar valores nas minhas operações (por múltiplos motivos). Neste caso, em nome da total transparência que o experimentalismo neste método exige, abrirei uma excepção. Não deve, no entanto, qualquer uma dessas ordens ou das minhas decisões, ser considerada como uma recomendação de compra ou venda, etc, etc... (vejam o disclaimer simplificado na lateral direita, ou façam uma rápida pesquisa se o quiserem ver completo).

Montante utilizado: Esta conta será composta por 10.000€. É uma conta real, como disse, e por isso será constituída por dinheiro real representante de uma percentagem do meu portfolio de negociação. Além de cumprir de forma necessária e escrupulosa as regras de money management para a minha carteira, acaba por ser também um valor com algum simbolismo por ter sido o montante com que me iniciei no mercado accionista. Será importante para poder comparar se os resultados serão diferentes quando as regras são cumpridas by the book (não foi o caso na primeira vez, e não acabou muito bem).

Risco tolerado: Os robots (ou EAs, ou estratégias automáticas, ...), conforme estão neste momento configurados, estão programados para devolverem um drawdown máximo estimado de 3,52% ao mês para uma média de rentabilidade mensal de 6,40%. É-nos ensinado no curso que deveremos esperar o dobro do drawdown e metade da rentabilidade, já que estes valores são calculados tendo por base o comportamento teórico combinado que os robots teriam caso estivessem a negociar juntos nos últimos anos (backtesting), e um dos riscos disso é que possam estar sujeitos a algum overfitting (demasiado ajustados ao passado, e menos preparados para o futuro). Como esse backtesting é suportado na conjugação das várias estratégias e não no ajuste à estratégia individual, não são expectáveis grandes problemas com overfitting, mas ainda assim é possível que possa ocorrer.

Objectivos: O objectivo nº1 é a protecção do capital, sempre! Explorarei esta questão de forma mais exaustiva no tópico abaixo. Verão depois, nos grupos de Facebook, que os nossos colegas Brasileiros têm objectivos de rentabilidade absolutamente diferentes, tolerando drawdowns até 15% ao mês. A minha configuração é quase o que eles consideram um depósito a prazo, mas para mim é já agressiva o suficiente para valer a pena. O meu objectivo de rentabilidade será de 20% ao ano, baseada numa expectativa mensal de retorno de 2% e uma expectativa de retorno negativa de 2 meses ao ano com o drawdown na faixa anteriormente indicada. O mês de Setembro, por só ter já mais 5 dias de negociação, não entrará nas contas. Espero, portanto, chegar ao final de 2016 com 5% de crescimento.

Protecção de capital: Cada robot comporta internamente diversos mecanismos de defesa, como filtros de volatilidade, de notícias, etc. Todas as ordens têm, sem excepções, stops automáticos. Ainda assim (apesar de ser improvável), tratando-se de uma estratégia automatizada  poderá sofrer um cataclismo qualquer. Por esse motivo será utilizado também um robot que funciona como "polícia" dos restantes. Caso a conta ultrapasse um determinado valor em alta ou em baixa, ele imediatamente desliga tudo. É um pouco como um seguro.... não queremos que ele seja activado, mas dormimos melhor sabendo que está lá. E qual será esse valor? O valor será alterado mensalmente conforme a minha definição de risco para o mês, mas deixo o exemplo de Setembro (é possível que ainda faça algumas alterações à configuração até segunda-feira, mas fica a ideia). Usarei para o cálculo a média (M) de drawdown + 3 desvios padrões (DP), que comportará teoricamente 99,7% de todas as movimentações possíveis. Como neste caso terei esse valor (M + 3DP) cifrado nos -5,69%, o meu "polícia" disparará aos -7%. Da mesma forma, ficará também ligado para valores positivos, pois uma ultrapassagem ao valor de M + 3DP será igualmente sinónimo de anomalia. Estando na estratégia de Setembro esse valor cifrado nos +18,48%, o "polícia" encerrará a conta caso o valor de +20% seja atingido. Uma vez mais, reforço, é pouco expectável que tal ocorra. Caso alguma dessas situações se verifique, a conta manter-se-á sem ordens até nova configuração de risco, no mês seguinte.

Configuração de risco: Neste ponto vou abster-me de grandes comentários. Partilharei mensalmente os resultados do mês anterior e a estratégia global de risco para a minha carteira para o mês seguinte, já que um dos indicadores de "qualidade" mais importantes para este mecanismo de negociação será o enquadramento dos resultados reais no cálculo inicial do intervalo de rentabilidade, mas não farei comentários relativamente a robots e risco individual por estratégia. Este é um dos pontos de maior variabilidade, e eu tenho plena noção que sou um perfeito amador na área. Portanto, todas as dúvidas relativamente a esse ponto deverão ser dirigidas ao Marcello. Ficarão indubitavelmente mais bem servidos na resposta.

Stop geral: Já falei do stop mensal, falta discutir o stop geral. Não sou louco, não deixarei chegar a conta a zero só para provar que tenho razão em defender este método de negociação. De acordo com a configuração de risco que programei para o mês de Setembro, a probabilidade de a estratégia apresentar um valor negativo no final do mês é de 5,61%. Significaria isto que num ano teria menos de 1 mês negativo. Improvável, se quiserem a minha opinião sincera. Espero alguns meses de perda, e considero isso normal. Desde que os meses de ganhos sejam em amplitude e/ou quantidade superiores, tudo bem. Afinal de contas isto é negociação, não é um depósito a prazo!
Qual é o ponto de "ok, os robots são uma treta, está na hora de ir comer caracóis e esquecer a lagosta"? Deixarei esse stop nos 30% da conta, baseando-se esse número na soma de 4 meses consecutivos a ser atingido o stop mensal (que já de si, como vimos, tem uma base probabilística de ocorrer de 0,03%). Significaria isso uma probabilidade de ocorrência inferior a 0,00001%, o que é mais do que suficiente para excluir o factor "foi azar" e permitir inferir com confiança estatística que a hipótese "negociar com robots é uma treta" é verdadeira. Este valor será alterado para cima, caso se justifique com o crescimento da conta, mas não para baixo.

VPS: Utilizarei o serviço de VPS da Activtrades. Uptime garantido, com seguro, em 99,9999% do tempo, conexão de rede de 10 Gbps, processador DC, e 2 gigas de Ram. Além da proximidade ao servidor geral, claro... O custo mensal é de 20€, mas eu consegui negociar com eles a gratuitidade do serviço por um mínimo de 7 meses em troca de um depósito extra de 5000€ (através da oferta de 1500 pontos reward). Confirmei com eles, se alguém mais quiser usufruir da promoção pode fazê-lo mediante as mesmas condições (depósito de 5000€). Só tem de, antes de fazer a transferência, enviar um mail para eles a fazer esse pedido e aguardar por confirmação.

Updates: Apesar de o link para acompanhar a conta em tempo quase real estar sempre disponível, todos os meses farei uma análise ao sucedido em termos de rentabilidade vs. perdas, enquadramento do resultado no risco configurado, e deixarei a indicação da perda máxima e ganho máximo toleráveis para a conta no mês seguinte.

Para concluir: Apesar dos óbvios riscos que a negociação automatizada (tal como a manual) tem, os benefícios potenciais são na minha opinião francamente superiores. Não descarto a possibilidade de estar redondamente enganado, mas estou disposto a pagar para ver. Estando as regras bem definidas, é uma questão de irmos acompanhando pacientemente os próximos desenvolvimentos. Ciente de que não há milagres, não tenho também dúvidas de que todas as novidades nos mercados financeiros são encaradas com desconfiança. Isso não significa que sejam boas ou más, é somente um reflexo da nossa forma paradoxal de encarar o risco.
                           _____________________________________________

Link para acompanhar os movimentos da conta: Clique aqui
Nota: Só na segunda-feira, quando ligar novamente os robots, a conta terá movimentações e estará com o montante total. Para já só tem uma única "imagem" de quando liguei os robots no início desta semana, não havendo ainda qualquer negócio.  

Link para download de conta de demonstração: Clique aqui
Nota: Antes de avançarem para a negociação real, façam toda a configuração dos robots em conta demo e deixem a rodar durante uns dias. As configurações mantém-se, basta depois fazer simplesmente login na outra conta.

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

CAC a recuperar bem após ameaça de inversão

À semelhança do que acontece na maioria dos índices Europeus, também o CAC tem vindo a lateralizar no médio prazo. Neste caso podemos, no entanto, verificar um padrão de higher-lows que foi violado (apenas) na última retracção. Essa retracção, que acabou por resultar numa quebra em baixa do suporte, funcionou como falsa ameaça para um swing-down. Funcionou, pelo menos, como sinal de alerta para muitos dos que tinham posições longas abertas, provocando o seu encerramento. O gráfico parece mostrar, contudo, que a recuperação pode mesmo vir a acontecer. Ainda assim, não estamos para já livres de risco. Temos, no gráfico diário, dois cenários possíveis. Ou o máximo relativo anterior, nos 4558 pontos é ultrapassado em alta e a ameaça esvai-se, ou os 4333 pontos são quebrados em baixa e vamos mesmo assistir a uma retracção do índice nas próximas semanas. Para já manter-me-ei na expectativa relativamente a estas duas direcções possíveis, mas não posso deixar de dizer que tenho muito receio quando um suporte que é ao mesmo tempo um mínimo relativo se quebra em baixa. Geralmente dá problemas...


No gráfico horário temos para já uma acalmia, modelada pela activação de um padrão de inversão semelhante ao que vimos a formar-se no DAX. Padrão técnico bem definido, com projecção a ter sido já atingida, e um pullback à neckline. Nada a apontar do ponto de vista técnico. Não obstante, e apesar da falta de sinais de retracção, manifesto uma vez mais a minha preocupação. É, portanto, importante manter a atenção a sinais de inversão neste timeframe. Será o primeiro sinal de alerta, caso o meu sexto sentido esteja correcto. Se eu estiver simplesmente a ver coisas onde não existem, mantenham-se em linha com a tendência de curto prazo e aproveitem a subida enquanto possível.



quarta-feira, 21 de setembro de 2016

Ibex em swings negociáveis no gráfico horário

Apesar de já não analisar o Ibex há alguns meses, pouco mudou neste índice. A lateralização dentro de um range bem definido mantém-se, e isso conta a história quase toda. Lateralização de baixa amplitude, com 20% entre extremos, tem sido pouco atractiva para trend followers como eu. Já para negociação de curto prazo tem sido mais interessante, pois os swings são relativamente bem definidos, e com uma enorme linearidade no gráfico horário. Repare-se nos últimos 6 movimentos de swing neste timeframe, e no facto de em todos eles ter ocorrido a activação de um padrão de inversão antes do movimento seguinte.

Fazendo um pouco de zoom in, podemos ver com maior detalhe o que ocorre actualmente neste timeframe. Depois do swing iniciado pela activação do duplo topo, temos agora o que parece ser a iniciação de um novo swing ascendente à boleia da activação de um H&S. A confirmar-se, teremos o primeiro objectivo nos 8832 pontos e uma significativa probabilidade de aproximação aos 8943 (zona de resistência que deverá servir como travão). Dada a linearidade que estes movimentos têm apresentado, e a lateralização no timeframe diário, não tenho dúvidas de que estas movimentações merecem a nossa atenção.